As principais causas da obesidade infantil

A obesidade infantil é um dos problemas mais comumente associados à modernidade. Cada vez mais crianças aparecem com um índice de massa corporal muito elevado para a sua idade. Algumas chegam a ter taxas tão elevadas que sua saúde pode ser comparada com a de um adulto ou idoso. Não é saudável, de nenhuma forma, ter um peso mais elevado que o seu normal.

Os campeões devido aos hábitos de vida em números de obesidade infantil são os norte americanos, com cerca de 25% das crianças com obesidade. Algumas já com casos de obesidade mórbida. No Brasil, os números ainda não são alarmantes mas merecem cuidado, pois o problema é sério e precisa ser resolvido para não comprometer o desenvolvimento da criança. Veja mais dados e números aqui.

Como saber se a criança está com obesidade infantil?

Assim como nos adultos, a relação entre massa e altura da criança é analisada para saber se sua massa corporal é compatível com o grau de desenvolvimento da criança. Quando o índice de massa corporal da criança é superior a 40%, ela é uma criança obesa.

O IMC ou índice de massa corporal, uma conta que vale tanto para os adultos como para as crianças, divide o peso pela altura em medidas de quilo e metros. Mas outros fatores são ainda somados pelo pediatra para determinar se o peso é normal e não obesidade, e não apenas o visual. Deve-se analisar a idade da criança e seu grau de desenvolvimento corporal.

As principais causas da obesidade infantil

O sobrepeso nas crianças são causados por diversos fatores. Os mais comuns são:

Dieta inadequada – na linguagem popular, comer demais e não comer bem, que são coisas diferentes. Comer demais quer dizer comer alimentos em grande quantidade, acumular calorias e não as usar na mesma proporção que ingere. Isso é o que causa o acumulo de gordura no corpo. E comer demais, mesmo o que é saudável, é tão problemático do que não comer bem.

Uma dieta ruim também é um dos problemas mais sérios para a obesidade infantil. Os norte americanos foram por muitos anos campeões em obesos pelo excesso de consumo de fast food, comida gordurosa e industrializada, sem nutrientes na quantidade ideal indicada pelo corpo médico. Comer bem é tão importante quanto comer pouco.

Sedentarismo – assim como nos adultos, não queimar calorias e não fazer exercícios causa o acumulo de gordura. Uma dieta pode ser feita para reduzir a quantidade de calorias ingeridas, mas se não houver uma queima do que há acumulado, a balança nunca abaixará os números. No máximo, a criança vai estabilizar seu peso. Crianças mais ativas, repletas de atividades educativas que movimentam o corpo e também aquelas que brincam ao ar livre sempre tendem a ser mais magras.

Problemas hormonais – algumas doenças proporcionam a não perda de peso e acumulo de líquidos, por isso o peso continua sempre aumentando. Neste caso, um tratamento e acompanhamento médico é crucial.

Transtornos alimentares – mesmo em jovens e crianças, pode haver problemas sérios para a causa da obesidade e um deles é o fator psicológico, como a bulimia e vício em comida. As crianças podem comer escondido ou não conseguir parar de comer. É comum acontecer depois de eventos traumáticos na infância ou apenas por uma copia de costumes dos pais, também não saudáveis.

Como conseguir manter a rotina de alimentação saudável para emagrecer

Começar um regime todo mundo consegue. Mas manter, quem consegue de fato? Quem nunca desistiu de uma dieta levante a mão, e não serão poucos os leitores que vão dizer que já desistiram por cansar do cardápio chato, de comer coisas não tão saborosas como antes e ter que comer na hora certinha, nem sempre com fome e nem sempre com vontade. Largar velhos hábitos (e quanto mais antigos os hábitos, pior) não é fácil. Algumas dicas para se manter na dieta para emagrecer podem ajudar.

Busque um amigo com o mesmo foco – emagrecer é um sonho de muita gente e não será difícil encontrar uma pessoa com o mesmo desejo. Unir suas metas com um amigo e se pesar sempre, buscar ajuda para começar uma pratica de exercícios ou até bater papo sobre sua dieta é uma forma de conseguir apoio externo. Há quem busque em médicos, mas aliar médicos com amigos é uma forma de se manter sempre na linha. E quanto mais próximo for esse amigo de sua rotina diária melhor ainda.

Quer mais uma dica em relação à amizade? Aproxime-se mais de amigos vegetarianos e veganos. Mesmo sem cortar a carne, comer em restaurantes com eles vai te dar mais ânimo para seugir na dieta sem se sentir dolorido porque todo mundo come gorduras e pratos recheados de carboidratos e você não pode fazer isso.

Evite locais com fast food – sim, isso é complicado, sabemos, mas é necessário. Você pode ter vontade de comer lanches rápidos, gordurosos e altamente industrializados, mas se não entrar na lanchonete pode até esquecer o seu desejo. Mas se ficar dando voltas na praça de alimentação do shopping e pontos semelhantes, as chances de ficar com uma grande tentação em busca de alimentos ricos em gordura e sair de sua dieta é enorme.

Assista programas e leia sobre uma dieta saudável – o médico recomenda e a maior parte das pessoas ignoram, mas uma alimentação saudável não é apenas importante para emagrecer, mas para a vida. Ler mais sobre o assunto e entender como o seu organismo funciona pode te dar o incentivo que precisa para largar de vez tantas calorias e comida do tipo “pronta para esquentar e comer”. Hábitos saudáveis fazem bem para a vida e não apenas para a balança.

Busque pratos saborosos com elementos nutritivos – comer verdura pode sim ser uma tortura e grelhados também se não fazem parte de sua dieta. Mas você sabia que produtos naturais não são ruins? Há quem diga que jamais comeu palmito na vida e ele está em uma boa parte de recheios de pizza, sabia? A proposta é essa: buscar receitas lights, com poucas calorias e um numero controlado de elementos para a sua dieta, e saborosos.

Mais receitas light: https://www.youtube.com/results?search_query=receitas+light

Existem biscoitos, bolos e até tortas com baixa gordura e feitas de nutrientes naturais e igualmente saborosos aos itens que te deram prazer antes de seguir a dieta. Se há um apreço por culinária, comece investindo em receitas diferenciadas para elaborar em casa e vai entender que comer bem não é necessariamente comer algo ruim. Pode ser muito saboroso com o tempero certo.

Dicas para emagrecer

Para alguns, emagrecer pode ser uma grande batalha sem fim em busca do método perfeito. Há quem tentou de tudo um pouco e nada mudou na balança. O que fazer? Não entrar em desespero é o primeiro passo, pois emagrecer pode ser mesmo um processo lento. Algumas dicas a seguir são simples e eficientes de seguir e podem ajudar a manter a balança no peso perfeito em longo prazo. Lembre-se: perder peso rápido pode acontecer, mas não faz bem para a saúde.

Corte uma parte dos doces de sua dieta – cortar tudo é radical demais, mas glicose em excesso se transforma em acumulo de peso a balança sobe. Cortar os doces por algum tempo, os bombons durante o dia e chocolate como rotina é uma forma de começar a adequar sua dieta. Em longo prazo trará bons resultados.

mulher feliz

Coloque na sua dieta o chá verde – não é tão ruim assim beber chá e o chá verde ou o vermelho são desintoxicantes. Eles aceleram o metabolismo e te fazem

Corte a farinha da dieta – farinha transforma-se em gordura rapidamente e é um dos maiores vilões da perda de peso. Se você é um fã do ingrediente, melhor aprender a viver sem ele na dieta.

Coma mais devagar – não engula, deguste. Quando você come mais devagar (não precisam ser 11 mastigadas por garfada como o popular ensina), acaba enviando a mensagem ao organismo que mais comida está entrando do que realmente há de fato. Há grandes chances de você comer menos porque está comendo mais lentamente.

Evite alimentos enlatados e congelados – eles são ricos em gorduras e calorias e por isso, mesmo malhando bastante, sua balança vai lutar para perder peso. Troque tudo por alimentos frescos, refeições saudáveis e a maior quantidade de itens naturais possíveis. Faz bem para o corpo, para a saúde dos seus órgãos e para a dieta também.

Evite frituras – esta muita gente conhece. Frituras tem óleo e óleo tem gordura, um dos maiores vilões para o aumento de peso. Só cortando alimentos fritos e preferindo os grelhados a sua dieta vai ser sensivelmente abalada para menos. Há quem consiga perder peso apenas com este pequeno conselho.

Coma mais vezes ao dia – o indicado pelos nutricionistas é seis, sendo três principais e três lanches, em intervalos de três horas. Isso acelera o metabolismo e te faz queimar ainda mais calorias. Uma alimentação regulada é um dos grandes assessores na perda de peso.

Pratique exercícios – a regra é simples: comer a quantidade ideal para o seu organismo e manter o corpo em atividade para ele queimar. Só assim você perde peso. Se consome pouco mas não queima, vai continuar com o mesmo número na balança. Sem mexer o corpo, nada funciona. Ao menos uma caminhada de 20 minutos por dia será o suficiente para manter seu corpo em forma e ainda ajuda a perder peso. Pode-se perder até mais quilos que isso, é só se mexer.

As principais causas da obesidade mórbida

A obesidade mórbida é um dos estágios mais avançados da obesidade infantil. Ela costuma surgir quando o corpo já ultrapassou 40% do seu limite de massa corporal suportável, e é aí que surgem os problemas. Infelizmente este grau de aumento de peso nunca vem acompanhado de sintomas positivos, e há quem chegue ao óbito por não cuidar da saúde.

O obeso mórbido não é saudável em nenhum grau. Um homem gordo ainda assim pode ser saudável e manter suas taxas em equilibro, como pressão arterial, colesterol e outros problemas do organismo em forma. Já a obesidade mórbida tem tudo em excesso e isso afeta diversas áreas do corpo, como as articulações que começam a carregar uma grande quantidade de peso e sofrem com isso. A circulação do corpo é alterada e pode haver dores intensas. Até mesmo a visão pode ser alterada.

As principais causas da obesidade mórbida

Os cientistas e corpo médico de estudiosos em todo mundo chegaram a um consenso de que o sobrepeso pode ter diversos fatores e apenas um deles é comer muito. São motivos apontados:

Transtornos genéticos – pode haver uma pre disposição genética no ganho de peso e neste caso, é apenas com bastante cuidado e acompanhamento médico e um combate constante ao problema é possível resolver o problema. Não há como combater algo do gene tão facilmente e mesmo uma cirurgia pode não adiantar. Outro nome conhecido para o problema é o “é de família”, quando uma família de gordos tenta combater o sobrepeso. Se está no gene e passa de pai para filho, não é tão simples assim cuidar.

Hormonais – alterações hormonais, mais comumente em mulheres, podem ser responsáveis pelo ganho de peso e não perda. Neste caso é preciso fazer a regulação hormonal com a ingestão de medicamentos receitados e acompanhados pelo médico.

Metabolismo lento – sabe aquela pessoa que come pouco e mesmo assim é muito gordo? Isso acontece porque ela não queima as calorias como deveria. Neste caso, uma dieta metabólica é indicada para forçar o corpo a queimar e depois começar a sessão de movimentos intensos, como uma rotina de exercícios.

Transtornos alimentares – também são causas comuns de aumentos de peso tão grande, como a bulimia. Há ainda a compulsão por alimento e o vício, comportamentos ligados a transtornos e comumente ignorados pelas pessoas por considerarem algo de que podem se livrar sozinhos. Não é bem assim. São problemas que exigem acompanhamento médico constante e pode ser preciso um pouco mais que apenas esperar passar.

Dá para resolver sozinho o problema de obesidade mórbida?

Não, mas dá para fazer algumas coisas em casa como começo de solução do problema, sair da inércia e aceitar que sua condição não é simples, como uma dieta controlada e os hábitos mudarem, mas de forma saudável. A presença de um profissional para solucionar o problema é sempre importante porque os médicos podem elaborar um plano de dietas saudáveis, acompanhar os resultados para o seu corpo e ajudar com metas. Também são um apoio moral para quem se sente sozinho nessa jornada.

Recomendados o tratamento do espaço fábio guedes: http://www.espacofabioguedes.com.br/tratamento-da-obesidade.html